Macroeconomia e mercado

Notícias

Trust anuncia aquisição de empresa pioneira em soluções agrícolas embarcadas em drones

A iniciativa é parte da estratégia para crescer no mercado de agronegócios. Com a aquisição da BIO TI, a companhia estima crescer 30% ao ano com foco em mais de 400 usinas sucroalcooleiras. Tendo a inovação como pilar, serão investidos mais de 5% do faturamento em P&D até 2016. O principal produto da BIO TI é a solução Agrodone, única capaz de monitorar com precisão e analisar grandes extensões de terra

A Trust, integradora de soluções especializada em TI, acaba de anunciar a incorporação da BIO TI, empresa inovadora sediada em Araçatuba, interior de São Paulo, especializada em serviços e soluções de mobilidade para o agronegócio. Focada na prestação de serviços de Tecnologia da Informação para o segmento de agroindústria no Brasil e pioneira no desenvolvimento de software embarcado em drones agrícolas, a BIO TI contará agora com a infraestrutura e recursos da Trust, que vem desde 2009 incorporando empresas especializadas em soluções para nichos de mercado. Esta nova incorporação reforça a estratégia para sustentar o crescimento de 30% ao ano, com forte direcionamento para o mercado composto por mais de 400 usinas sucroalcooleiras. 

Um dos principais produtos da BIO TI é a inovadora solução Agrodrone, inédita no Brasil e à frente de outras poucas similares que ainda estão em desenvolvimento na Espanha e nos Estados Unidos, respectivamente nas Universidades de Valencia e do Kansas. As soluções da BIO TI já vêm sendo comercializada no Brasil desde 2012, tendo entre seus clientes empresas líderes de mercado como Cosan/Raízen, Usina São Fernando e Tonon.

“Embora estejamos bem posicionados no mercado de software ERP para empresas do agronegócio, nosso intuito é fortalecer a oferta de soluções inovadoras e de mobilidade para maximizar a produtividade das empresas deste setor. Estamos satisfeitos com a chegada da BIO TI e otimistas em relação à expansão de nossa atuação no mercado”, afirma César Alves, Vice-Presidente Executivo da Trust.

Com 15% do faturamento advindo do agronegócio, a Trust já conta com uma sede e um Centro de Suporte SAP para atender toda a mesorregião de Ribeirão Preto. 

Até 2016, a companhia pretende aumentar o investimento em pesquisa e desenvolvimento de novos produtos que atendam a cadeia do agronegócio, que hoje contempla mais de 30 segmentos. Atualmente as soluções da Trust, voltadas ao Agronegócio, já estão preparadas para as principais cadeias do setor tais como Sucroenergético, Grãos, Pecuária, Citrus e Outras.

Lavoura High tech

O Agrodrone está baseado em um software embarcado que gera imagem georeferencial, ou seja, imagens captadas pelo drone enviadas em tempo real para tratamento automatizado. Equipado com computador de bordo e GPS, o software da BIO TI recebe sinais de satélites possibilitando um sobrevoo milimetricamente preciso. Permite assim, identificar problemas e fornecer informações para análises importantes para tomada de decisões. Falhas de plantio em grandes extensões de áreas cultivadas, trechos com excesso ou falta d'água, seções onde é necessário aplicação de agrotóxicos, são alguns exemplos de informações que o Agrodrone fornece aos usuários.

“Ainda que empregue alta tecnologia, a solução é muito amigável. Com ela um agrônomo controla facilmente o drone com um tablet, que transmite as informações para o computador e, assim, podem passar para a etapa de análise de acordo com a aplicação”, explica Gustavo Nogueira, Diretor de Tecnologia da BIO TI.

A tecnologia empregada pela solução possibilita também captar imagens térmicas em infravermelho identificando o DNA das espécies e demonstrando, por exemplo, a presença de plantas concorrentes. “Este recurso é muito importante por exemplo, para medir a produtividade de uma área”, explica Nogueira.

 As imagens são utilizadas para compor um mapa das áreas e os dados são então processados e analisados com ajuda do computador, reduzindo em até 70% o tempo gasto em diferentes processos, como visitas na plantação para localização de falhas. 

Com a incorporação da BIO TI, o Grupo Trust será o primeiro fabricante a entregar ao mercado este software como serviço, disponibilizado na nuvem. A Trust investirá não só no desenvolvimento do Agrodrone como em aplicações específicas desta tecnologia, priorizando a inteligência deste negócio, também denominado “Projeto Zangão”. (TIBAHIA.COM 10/09/2014)

 

Jornal Nacional destaca demissões ligadas ao setor sucroalcooleiro

A estiagem na região Sudeste atingiu em cheio o agronegócio. Mais de 5 mil trabalhadores da produção de açúcar e álcool foram demitidos por causa da seca.

Nos canaviais paulistas, é fácil perceber os reflexos da pior seca das últimas décadas.

“Hoje nós temos aqui os gomos mais curtos referentes à seca que nós estamos atravessando. A cana sofre maior impacto", comenta Roberto Bispo França, produtor.

Seu Roberto esperava colher 20 mil toneladas de cana na fazenda de 200 hectares em Araçatuba. A produção não deve passar de 16 mil.

"Não vai dar para estar fechando todas as contas aí. Não dá para pagar o passado e vamos ter que nos programar para o futuro, senão também não se colhe cana", diz o produtor.

As lavouras paulistas correspondem a 60% da produção nacional de cana. Segundo a UNICA - União da Indústria de Cana de Açúcar, a queda no rendimento deve chegar a 16%.

"Nossa nova estimativa de safra hoje é da ordem de 545 milhões de toneladas de cana. Uma redução de mais de 3 milhões de toneladas na produção de açúcar e uma redução de 1,3 bilhões de etanol. Se o clima não ajudar, tudo indica que a safra do ano que vem será menor ainda que a safra atual”, aponta Antônio de Pádua Rodrigues, diretor técnico da UNICA.

A safra no interior de São Paulo, que normalmente vai até novembro, deve terminar mais cedo este ano. Algumas usinas já pararam as máquinas em agosto. Por isso, muitos funcionários foram dispensados. De acordo com a cooperativa dos plantadores de cana do estado, cerca de 5 mil trabalhadores foram demitidos nos últimos dois meses. Só na região de Araçatuba, foram mil demissões. Everton faz parte desse número.

"Sempre pegava bastante gente, agora depois que aconteceu isso, essa parte de seca, tudo está difícil. Vou procurar outro setor, tenho que pensar na minha esposa, na minha filha", destaca o desempregado Everton Henrique Acre. (Jornal Nacional 09/09/2014)

 

Exportação em baixa deve segurar preço do etanol, diz entidade sucroalcooleira

A falta de mercado para o etanol no exterior deve beneficiar o consumidor do combustível no Brasil. Caso o cenário de exportações continue ruim até o fim da safra, o mercado interno terá estoque capaz de manter os preços durante a entressafra.

A análise é do diretor-técnico da Unica (União da Indústria de Cana-de-Açúcar), Antonio de Padua Rodrigues. A instituição divulgou nesta terça-feira (9) relatório quinzenal sobre a moagem de cana no centro-sul do país.

Se a previsão se confirmar, o preço do combustível em Ribeirão Preto (a 313 km de São Paulo), por exemplo, pode ficar estável para os consumidores, a menos de R$ 2 o litro. Em anos anteriores, chegou a custar R$ 2,39.

Segundo o levantamento divulgado pela Unica, o volume de etanol exportado em agosto caiu 65% e passou de 334,5 milhões de litros, no ano passado, para 117,09 milhões, no mês passado.

A previsão de exportação de etanol até março de 2015 é de 1,2 bilhão de litros –até agora foram 660 milhões de litros na safra. A expectativa é inferior à metade do comercializado para o exterior no ano passado: 2,6 bilhões.

Ao mesmo tempo houve alta na produção do etanol, de 7,54% em comparação com 2013, quando foram produzidos 2,25 bilhões de litros.

As usinas diminuíram a produção de açúcar e passaram a fabricar mais etanol, sobretudo em São Paulo.

No mês passado, foram retirados 47,36 litros de etanol por tonelada de cana. Em 2013, eram 42,78 litros.

Segundo Rodrigues, o volume estocado poderá garantir a oferta no período entre a atual e a próxima safra (de novembro a março), mesmo com a crise que o setor canavieiro atravessa.

"Temos estoques disponíveis até o fim. Se o cenário de exportações permanecer como está, o mercado interno não terá falta de produto mesmo com a quebra da safra."

Segundo ele, o cenário de exportações não é atrativo em função da alta na produção do etanol de milho nos EUA.

"Diferentemente do ano passado, quando eles [os EUA] tiveram uma quebra, em 2014 o preço fora do país é muito baixo para a exportação", afirmou.

Na análise da empresa de consultoria FG/Agro, de Ribeirão Preto, a próxima entressafra terá grande oferta e preços normalizados porque a safra não sofrerá a quebra estimada pela Unica.

Willian Hernandes, sócio da empresa, afirmou que prevê melhoras na safra até o final deste ano.

"Nós também acreditamos que o preço não vai variar tanto, pois não prevemos um cenário de quebra tão forte quanto o que a Unica vem desenhando", afirmou.

O analista disse ainda que, como a Unica tem sede em São Paulo, pode haver um pessimismo com os números em função da situação crítica enfrentada pelo setor sucroenergético paulista.

"Em outros Estados temos coletado informações positivas sobre a produção."

Hernandes afirmou que, apesar dos números negativos de 2014, a entressafra não será marcada pela ausência de mercadoria e preços altos, como ocorreu em 2012. (Folha de São Paulo 10/09/2014)

 

COMENTÁRIO MACRO E MERCADO

Mundo

1) Estados Unidos – foram criados 4.673 milhões de empregos no mês de Agosto, segundo o relatório de criação de vagas e movimentação do mercado de trabalho norte-americano. O número ficou ligeiramente abaixo dos 4.7 milhões de empregos criados no mês de Julho, maior número visto desde fevereiro de 2001. A leitura do número corrobora para análise de que o mercado de trabalho nos Estados Unidos vem ganhando força.

2) França – a produção industrial da França cresceu 0,2% em julho na comparação com o mês anterior, acima das expectativas  de queda de 0,5%, desacelerando em relação ao mês anterior que foi revisado para 1,2% de 1,3% na divulgação anterior. Na comparação anual, a produção industrial apresentou alta de 0,1%, acima das expectativas de queda de 0,3%, acelerando da queda de 0,6% no ano anterior.

3) Espanha – a produção industrial subiu 0,8% em julho, considerando os efeitos sazonais, ante o mesmo período do ano anterior, abaixo das expectativas do mercado que esperavam alta de 1,4%, ficando levemente acima da mesma comparação do mês anterior que havia apresentado alta  de 0,7%.

4) Reino Unido – o primeiro ministro do Reino Unido, David Cameron, afirmou que a decisão pela independência da Escócia, a partir do plebiscito que será votado na próxima semana, seria irreversível e que não seria possível manter uma união monetária entre o Reino Unido e uma Escócia independente.

5) China – de acordo com o Broadcast, a China vai facilitar o investimento de empresas no exterior a partir de outubro, flexibilizando a aprovação de operações e exigir a avaliação apenas de projetos considerados sensíveis. Anteriormente, investimentos que superassem US$ 100 milhões deveriam passar por avaliação do governo chinês. O ministro Li Keqiang afirmou que o crescimento está estável e que um crescimento ao redor de 7,5% é razoável.

Brasil

1) Rating – a agência de classificação de risco Moody’s alterou a perspectiva da nota do Brasil de estável para negativa, aumentando a possibilidade de um rebaixamento da nota do país. Os motivos para revisão foram o baixo crescimento da economia, a queda da confiança do investidor e a deterioração das contas do governo. De acordo com o jornal Folha de São Paulo, se o rebaixamento fosse confirmado, haveria um aumento sensível do custo de financiamento no exterior do governo e das empresas brasileiras.

2) Eleições – a pesquisa Ibope foi divulgada ontem para São Paulo, na qual a candidata Marina Silva manteve a liderança com 38% das intenções de voto, ante 39% na pesquisa anterior, enquanto a presidente e candidata a reeleição, Dilma Rousseff teve 25% das intenções de voto, ante 23% na pesquisa anterior. O candidato Aécio Neves caiu para 15% das intenções de voto, ante 17% na pesquisa anterior. No Rio de Janeiro, Dilma lidera com 37% das intenções de voto, ante 32% na pesquisa anterior. Marina Silva apresentou 34% das intenções de voto, ante 38%, e Aécio Neves passou para 9% ante 11%.

3) Minério de Ferro – o preço do minério de ferro atingiu a cotação de US$ 83,60 por tonelada, menor valor em cinco anos, e pode colocar na gaveta programas de mineração das siderúrgicas no Brasil, de acordo com o jornal O Estado de São Paulo. No acumulado do ano, o minério já perdeu quase 40% do seu valor.

4) Safra – o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) elevaram as estimativas para a safra de grãos deste ano, segundo revisões de duas estimativas revisadas ontem, confirmando a expectativa de colheita recorde. Os destaques positivos ficaram para a safra de milho que apresentou alta de 0,2% na estimativa de agosto e cereais, leguminosas e oleaginosas que devem apresentar alta superior a 2,8% em relação a produção de 2013.

5) Água – de acordo com a Sabesp, o volume da Cantareira com a reserva técnica caiu para 9,8% de 10%, atingindo o menor nível desde que foi autorizada a utilização das reservas técnicas. Além disso, o sistema Alto Tietê caiu para 14,4% de 14,6%.