Macroeconomia e mercado

Notícias

Ex-diretor da Petrobras sacou R$ 200 mil de conta de usina sucroenergética

Transação foi considerada suspeita pelo Coaf e comunicada ao Ministério Público.

Relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) anexado ao processo que levou à prisão Nestor Cerveró aponta o ex-diretor da Petrobras como beneficiário de um saque de R$ 200 mil em espécie, em 7 de janeiro de 2011. O dinheiro saiu da conta de uma usina de etanol de Paracatu, no interior de Minas Gerais, que fornece o produto para a Petrobras. Na ocasião, Cerveró era diretor financeiro da BR Distribuidora, subsidiária da companhia.

Na época do saque, Cerveró já tinha deixado a área internacional da Petrobras, mas ele ficou na Diretoria Financeira da BR Distribuidora até março de 2014. Há registro ainda de outras movimentações em espécie feitas pelo ex-diretor — dois depósitos de R$ 192 mil — que foram justificadas no sistema bancário como pagamento pela compra de um imóvel. No caso da transação financeira da destilaria, porém, não há justificativa para o saque no relatório do Coaf.

Em resposta ao GLOBO, a BR Distribuidora disse não ter informações sobre essa movimentação financeira, mas ressaltou que não há autorização da empresa para que os seus diretores retirem quantias em espécie. “Diretores executivos não têm a prerrogativa de realizar saques em nome da Petrobras Distribuidora”, registrou. A estatal afirmou ainda que a usina Paracatu é “fornecedora eventual de etanol” para a BR, não existindo contrato fixo entre as empresas.

O GLOBO entrou em contato com a destilaria. Um funcionário disse não ter conseguido localizar o diretor que poderia responder perguntas sobre o saque. A defesa de Cerveró foi procurada desde terça-feira por telefone e não respondeu. O Coaf alegou sigilo bancário para não explicar o que significaria a inscrição da Petrobras como “responsável”, apesar de o documento ter sido anexado a um processo da Lava-Jato que não é protegido por sigilo.

No documento do Coaf, a Petrobras é identificada como “responsável”. O órgão de fiscalização do Ministério da Fazenda não explicou qual o significado de a estatal ter sido incluída no documento com essa designação. Procurada pelo GLOBO, a Petrobras informou que seus diretores executivos não têm autorização para fazer saques em nome da empresa.

Descoberta

O documento do Coaf foi enviado aos investigadores da Operação Lava-Jato. O relatório foi produzido a partir de um pedido da força-tarefa do Ministério Público para identificação de transações financeiras fora do padrão envolvendo os investigados no esquema de corrupção da Petrobras. O registro da retirada em espécie consta de um relatório de inteligência financeira realizado em 7 de novembro de 2014.

Empresa ainda tem a conta

Os bancos e demais instituições financeiras são obrigados a informar ao Coaf movimentações atípicas dos clientes que tenham indícios de lavagem de dinheiro. Em relação aos saques em espécie, a lei determina a comunicação de toda operação que supere R$ 100 mil.

No item 2.3 do relatório enviado à força-tarefa, há registro de uma comunicação feita pelo banco Bradesco. Cerveró aparece como sacador de R$ 200 mil de uma conta de titularidade da Destilaria Vale do Paracatu Agroenergia. A conta citada no relatório é de uma agência do Bradesco na Avenida Paulista, no Centro de São Paulo. A usina continua sendo dona da conta até hoje, de acordo com o site do banco. (O Globo 16/01/2015)

 

Governo da Índia eleva preço mínimo da cana na temporada 2015/16

O governo da Índia anunciou nesta sexta-feira a elevação do preço mínimo da cana-de-açúcar no ano comercial de 2015/16, que terá início em 1º de outubro deste ano. O valor, considerado pelo governo um preço justo e remunerador, terá alta de 4,5%, para 230 rupias indianas (US$ 3,70) a cada 100 quilos.

Todos os anos o governo indiano aumenta o preço mínimo da cana-de-açúcar com o objetivo de garantir que os agricultores não troquem a cultura por outras mais lucrativas.

A produção de açúcar do país na atual temporada, que será encerrada em setembro, é estimada em 25,5 milhões de toneladas, acima das 24 milhões de toneladas da safra passada, de acordo com a Associação das Usinas de Açúcar da Índia. (Dow Jones 16/01/2015)

 

CNH demite 240 funcionários de fábrica no PR

A CNH Industrial, grupo de bens de capital com forte atuação no segmento de máquinas agrícolas no país, demitiu 240 funcionários de sua fábrica em Curitiba (PR). As dispensas foram anunciadas na semana passada, dia 7. A empresa não informou o número total de pessoas que estavam empregadas na unidade, voltada à produção de tratores e colheitadeiras.

Detentora das marcas New Holland e Case IH, a CNH Industrial discute neste momento com o sindicato que representa os trabalhadores do setor medidas para minimizar o impacto dos desligamentos, segundo informou a assessoria de imprensa da multinacional. No segmento agrícola, a CNH também mantém, além de Curitiba, plantas de produção em Sorocaba (SP) e Piracicaba (SP).

De acordo com Jamil Davila, secretário geral do Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba, os desligamentos foram provocados por previsões de vendas de máquinas agrícolas este ano inferiores às de 2014. "Há estoque de cerca de dois meses de produção", disse. A assessoria de imprensa da CNH afirmou que as demissões na unidade foram decorrentes do "acompanhamento do mercado".

No ano passado, as vendas brasileiras de máquinas agrícolas e rodoviárias das montadoras para as revendas recuaram 17,4% sobre 2013, para 68,5 mil unidades, de acordo com a Anfavea, entidade que representa as principais empresas do setor no país e da qual a CNH também é associada. Em 2013, o setor teve um desempenho recorde, com comercialização de 83 mil unidades. Para 2015, a Anfavea estima estabilidade para a comercialização doméstica desses produtos sobre 2014.

No ano passado, a participação da CNH Industrial - com suas duas marcas - nas vendas domésticas de colheitadeiras foi de 45,9% do volume total comercializado pelas associadas da Anfavea, conforme dados da própria entidade. Em tratores agrícolas, essa fatia foi de 20,3% no mesmo período.

No segundo semestre de 2014, a multinacional americana John Deere também demitiu funcionários. Na maior parte, foram temporários, que atuavam na fábrica de colheitadeiras da companhia em Horizontina (RS). Segundo a John Deere, foram ajustes pontuais. (Valor Econômico 16/01/2015)

 

COMENTÁRIO MACRO E MERCADO

Mundo

1) China: O jornal oficial do governo chinês publicou matéria destacando que os dados de crédito de 2014 sugerem que a demanda por financiamento no país ainda está fraca e, por isso, há espaço para maior flexibilização das taxas de juros. Segundo o texto, os estímulos a empréstimos de governos locais, dados em 2014, não devem se sustentar esse ano. Sendo assim, há necessidade de cortes nas taxas de reserva de depósitos dos bancos este ano.

2) China: O governo chinês aprovou dois grandes projetos ferroviários para os próximos cinco anos, com investimento total previsto em 53,14 bilhões de yuans. Um dos projetos envolve a construção de três novas linhas de metrô e um trem de linha no leste do país. Já o segundo investimento é referente a uma linha ferroviária no sul da China.

3) Europa: Os juros dos títulos soberanos da Grécia subiram nesta sexta-feira , após um jornal local divulgar que dois bancos do país pediram acesso a um instrumento especial de liquidez do Banco Central grego. No entanto, os nomes das instituições financeiras não foram revelados. Segundo especialistas, os bancos gregos enfrentam problemas crescentes de liquidez devido, principalmente, aos fluxos de saída de depósitos, para cobrir os leilões de títulos do país.

4) Europa: O Índice de Preços ao Consumidor (CPI) da zona do euro caiu 0,2% em dezembro ante igual mês de 2013, em linha com a estimativa preliminar divulgada na semana passada. Já o núcleo do indicador subiu 0,7%, na comparação anual, ligeiramente abaixo da estimativa preliminar, que apontava alta de 0,8%. Confirmada a primeira queda anual do CPI da região desde o início da série histórica, cresce a expectativa para que o Banco Central Europeu (BCE) anuncie o programa de quantitative easing já na próxima reunião, marcada para dia 22 de janeiro.

5) EUA: O Índice de Preços ao Produtor (PPI) dos EUA registrou queda de 0,3% em dezembro, na comparação mensal, ante recuo de 0,2% em novembro, acima da expectativa dos economistas, de queda de 0,4%. Com este resultado, o indicador encerrou 2014 com alta de 1,1%, desacelerando levemente em relação ao ano de 2013, quando registrou alta de 1,2%.

6) EUA: Os novos pedidos de seguro desemprego registraram 316 mil solicitações na segunda semana de janeiro, acima da previsão dos analistas de 290 mil pedidos. Vale destacar que este resultado, apesar de ser o  mais alto em quatro meses, pode ter sido influenciado pela temporada de férias, período de mais volatilidade do indicador.

Brasil

1) Operação Lava-Jato: O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, preocupado com a situação financeira das empreiteiras investigadas na Operação Lava-Jato, pediu para que fosse mapeado os volumes dos papéis negociados por essas empresas no mercado financeiro. O alerta acendeu no início deste mês, quando a construtora OAS deixou de honrar parte de suas dívidas, e se intensificou com os rebaixamentos das notas de créditos das construtoras pelas agências internacionais de risco. Segundo o Estado, a preocupação do governo é de que as dificuldades das construtoras afetem os financiamentos para empresas que não tenham nenhum envolvimento com a Operação.

2) Inflação: O Índice de Preços ao Consumidor – Semanal (IPC-S) acelerou para 1,28% na segunda quadrissemana de janeiro, ante alta de 0,96% registrada na primeira leitura do mês. Das oito classes analisadas, seis apesentaram acréscimo em suas taxas de variação, são elas: Educação, Alimentação, Habitação, Transportes, Despesas Diversas e Comunicação.

3) Setor elétrico: Segundo o Estado, a maior usina térmica a óleo do país paralisou 16 das 17 turbinas. Uma pane grave nas máquinas da térmica Suape 2, instalada em Cabo de Santo Agostinho, em Pernambuco, paralisou praticamente toda a unidade. Com capacidade instalada de 381,2 megawatts, suficiente para atender quase 2 milhões de residências, a usina térmica vinha trabalhando próxima de sua carga máxima por determinação do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).  Desde terça-feira, porém, Suape 2 tem gerado somente 22 megawatts, com apenas algumas máquinas em operação.

4) Crédito: A Caixa Econômica Federal anunciou ontem que vai subir os juros dos empréstimos imobiliários a partir da próxima segunda-feira. Para financiamentos de imóveis acima de R$ 750 mil, o juro passará de 9,2% para 11% ao ano mais TR, taxa próxima a dos demais bancos. Para os clientes com relacionamento no banco, o juro subiu de 9,10% para 10,70%. Já para imóveis de até R$ 750 mil, contemplados pelo SFH, o aumento será de 8,75% para 9% ao ano mais TR, para clientes que tenham outros produtos.

5) Petrobrás: Preocupada com as dificuldades financeira da Sete Brasil, maior fornecedora de sondas para a Petrobras no pré-sal, a presidente Dilma Rousseff conversou com os presidentes do BNDES e do Banco do Brasil para tentar destravar empréstimos destinados a socorrer a empresa. Segundo a Folha, Dilma tenta resolver pendências referentes a um empréstimo de US$ 3,5 bilhões para a contratação de oito sondas, além de um empréstimo ponte de R$ 800 milhões para resolver os problemas de caixa mais urgentes da companhia.

6) Atividade: De acordo com o Valor, apesar das recentes demissões no setor automobilístico, o governo não pensa em anunciar medidas de socorro ao setor neste ano. Fontes do próprio governo afirmaram que a indústria automobilística precisa se expor mais à concorrência, melhorar a competitividade e buscar novos mercados. Esta é uma dentre as várias medidas anunciadas que sinaliza um “desmonte” da política econômica adotada no primeiro mandato da presidente Dilma Rousseff.