Macroeconomia e mercado

Notícias

TJ-SP suspende leilão de ativos do Grupo Carolo

O Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) suspendeu o leilão de dois ativos do Grupo Carolo em Minas Gerais, previsto para ser finalizado na tarde desta sexta-feira, 26. Segundo o administrador judicial Alexandre Borges Leite, o TJ-SP acatou o pedido de um credor da companhia em recuperação judicial para paralisar o leilão da usina Planalto e da fazenda Manchúria, em Ibiá (MG), avaliadas em quase R$ 57 milhões. "Um novo leilão será formatado e publicado, o que dever demorar cerca de um mês", afirmou Leite. Até o início da manhã desta sexta no site do leilão eletrônico, feito via internet, não haviam sido feitos quaisquer lances acima do inicial, em R$ 25 milhões, o equivalente a 45% do valor total dos bens. No fim da manhã, o cronômetro regressivo foi alterado, com previsão para que o encerramento de um possível novo certame ocorra em 35 dias, ou seja, em 31 de julho. A usina é capaz de produzir 300 mil litros de etanol por dia e de armazenar 15 milhões de litros do combustível. A fazenda tem 1,27 mil hectares, com galpões, represas, 600 hectares para cultivo de cana-de-açúcar e pista de pouso. Segundo o administrador judicial da companhia, além da suspensão do leilão, o TJ-SP rejeitou três agravos contra o plano de recuperação da companhia sucroalcooleira com sede em Pontal (SP) e aprovado pelos credores. "Isso foi muito positivo, porque o plano segue valendo", afirmou. Além dos três agravos, o tribunal solicitou mudanças em cláusulas aprovadas no plano, mas consideradas ilegais: a que a companhia precisaria de uma nova assembleia de credores para a decretação de uma falência e que a liberação de avais e vendas de ativos poderia ser feita sem autorização judicial. (Cana Online 29/06/2015)

 

Açúcar: commodity encerra semana com alta de 15 pontos em NY

Com uma alta de 15 pontos no vencimento julho/15, o açúcar encerrou a semana valorizado na bolsa de Nova York. Ele foi cotado a 11,67 centavos de dólar por libra-peso. No lote outubro/15, o aumento foi de oito pontos no comparativo com a véspera. Nas outras telas, os preços também subiram.

O Diretor da Archer Consulting, Arnaldo Luiz Corrêa comentou em seu artigo semanal que "rumores de que a Tailândia tenha um excesso de açúcar da ordem de 1.5 milhão de toneladas é verdadeiramente um banho de água fria para aqueles que pensavam que o mercado pudesse ter uma reação. Um veterano trader, que sempre operou bom volume nos futuros, acredita que o contrato futuro de NY pode ir para 10 centavos de dólar por libra-peso em função do que pode vir de notícias negativas da Tailândia. Tudo o mais inalterado, 10 centavos de dólar por libra-peso representariam hoje R$ 716 por tonelada. A última vez que isso ocorreu foi em 2010".

Ele explicou ainda que o açúcar tenta se recuperar das recentes quedas, mas nada acontece com os fundamentos que justifiquem alguma melhora nos preços. "Esta semana correu o rumor à boca pequena que uma grande trading está se preparando para receber uma gigantesca quantidade de açúcar na entrega de outubro tirando proveito do escorchante spread que tem sido negociado. Não dá para saber se tem algum fundo de verdade nesta história.", disse Corrêa.

Em Londres, os preços da commodity ficaram mistos na última sexta. Na tela agosto/15, eles foram negociados a US$ 359,80 a tonelada, alta de US$ 2,80. No lote outubro/15 e dezembro/15, o aumento foi de 1,80 dólar e 0,60 cents, respectivamente. Já nos vencimentos março/16 e maio/16, o açúcar caiu de 0,20 a 0,80 cents.

Mercado interno

No mercado interno, o preço do açúcar subiu 0,32% na sexta-feira (26). De acordo com os índices do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea/Esalq), da USP, a saca de 50 quilos do tipo cristal foi cotada a R$ 47,67. (Cana Online 29/06/2015)

 

CTC divulga 5ª Boletim Técnico

O Centro de Tecnologia Canavieira divulgou nesta sexta-feira (26) o 5º Boletim Técnico CTC. O material mostra Como obter as melhores performances agroindustriais utilizando variedades CTC e os ambientes de produção edafoclimáticos.

Considerando a safra agrícola 2014/2015 da cultura de cana-de-açúcar, o CTC possui no seu banco de dados geográficos aproximadamente 2.200.000 ha de área mapeada, tornando esse sistema de classificação de terras (Ambientes de Produção Edafoclimáticos CTC) um padrão para o Brasil.

Para ver o matéria completo, clique aqui:

http://www.udop.com.br/download/noticias/2015/26_06_15_boletim_ctc.pdf.

Fonte: (Cana Online 29/06/2015)