Macroeconomia e mercado

Notícias

Commodities Agrícolas

Açúcar: Prejuízo no Caribe: Os prejuízos causados pela passagem de sucessivos furacões pelo Caribe nas últimas semanas já geram impactos no mercado de açúcar na bolsa de Nova York. Os papéis da commodity com vencimento em março fecharam a 14,70 centavos de dólar a librapeso ontem, em alta de 33 pontos. Nesta semana, os analistas de açúcar da consultoria Kingsman Platts reduziram suas previsões para o superávit na oferta mundial de açúcar esperada para 2017/18 em quase 1 milhão de toneladas, para 3,87 milhões de toneladas. A empresa cita como motivo para o corte os danos causados pelo furacão Irma, sobretudo em Cuba. No mercado interno, o indicador Cepea/Esalq para o açúcar cristal em São Paulo ficou em R$ 52,65 a saca de 50 quilos, alta de 0,44%.

Cacau: Mercado volátil: Após iniciarem a semana em queda, os contratos futuros do cacau registraram alta significativa na bolsa de Nova York ontem. Os papéis com vencimento em março fecharam a US$ 2.002 a tonelada, com ganho de US$ 27. Na semana passada, a amêndoa acumulou alta de quase 4%, impulsionada pelas expectativas com a demanda europeia, mas na terça-feira a queda nesta semana já era de 2,2%. Em nota, o Zaner Group destaca a volatilidade do mercado de cacau nos últimos dias e afirma que essa deve ser a tendência dos próximos, com as cotações sustentadas por movimentações de curto prazo. Em Ilhéus e Itabuna, na Bahia, o preço médio pago ao produtor subiu 0,7%, para R$ 100,70 a arroba, de acordo com dados da Central Nacional de Produtores de Cacau.

Soja: Negócio da China: As vendas expressivas de soja dos EUA para a China deram força às cotações da oleaginosa na bolsa de Chicago, apesar das previsões de safra recorde nos EUA - o que limita os ganhos em bolsa. Os papéis com vencimento em janeiro fecharam ontem a US$ 9,805 o bushel, alta de 4,5 centavos. Segundo o Departamento de Agricultura dos EUA (USDA), os exportadores do país firmaram contratos para a venda de 1,1 milhão de toneladas de soja da safra 2017/18 para destinos não revelados e de 132 mil toneladas para a China. Desde o dia 14, o órgão já informou a venda de mais de 720 mil toneladas para o país, maior importador mundial. No mercado interno, o indicador Esalq/BM&FBovespa para a soja em Paranaguá ficou em R$ 70,49 a saca de 60 quilos, avanço marginal de 0,07%.

Trigo: Impulso cambial: A queda do dólar ante as principais divisas do mundo deu força às cotações do trigo nas bolsas americanas ontem. Em Chicago, os papéis com entrega em março fecharam a US$ 4,6975 o bushel, ganho de 5,75 centavos. Em Kansas, o cereal de mesmo vencimento fechou a US$ 4,66 o bushel, alta de 6,5 centavos.. A moeda americana chegou a bater a mínima em dois anos, com o ICE Dollar Index a 91,52 pontos pela manhã. O dólar mais fraco tende a elevar a competitividade da safra dos EUA no mercado internacional, colaborando com as vendas do país. Os danos causados pela chuva à safra 2017/18 na Argentina ajudam a catalisar os ganhos em Chicago. No mercado interno, o preço médio praticado no Paraná ficou em R$ 592,23 a tonelada, queda de 0,2%, segundo levantamento do Cepea. (Valor Econômico 21/09/2017)