Macroeconomia e mercado

Notícias

Commodities Agrícolas

Açúcar: Oferta européia: A aproximação do quarto trimestre, quando a safra européia de açúcar deverá chegar ao mercado internacional, tem ajudado a pressionar as cotações do demerara na bolsa de Nova York. Os papéis com vencimento em março fecharam a 14,64 centavos de dólar a libra-peso na sexta-feira, recuo de 9 pontos e queda acumulada de 53 pontos na semana. Recentemente, a agência de monitoramento de safras da União Europeia elevou em 2,9% suas estimativas para a produtividade da safra de açúcar de beterraba em 2017, para 76,9 toneladas por hectare. A revisão reflete as boas condições climáticas em boa parte da França e Alemanha. No mercado interno, o indicador Cepea/Esalq para o açúcar cristal em São Paulo ficou em R$ 52,70 a saca de 50 quilos, alta de 0,3%.

Café: Atenção ao clima: As previsões climáticas para o Sudeste brasileiro têm dado o tom das negociações do café na bolsa de Nova York. Na última sexta-feira, os contratos com vencimento em março fecharam a US$ 1,381 a libra-peso, com recuo de 45 pontos e queda acumulada de 330 pontos na semana que passou. Com o início da fase de floração da safra 2018/19, o mercado tem acompanhado atentamente o comportamento do clima no país, maior produtor mundial de café. Segundo o Zaner Group, as previsões são de chuvas de até 76 milímetros no início de outubro no Sudeste do Brasil, o que seria suficiente para a floração dos cafezais. No mercado interno, o indicador Cepea/Esalq para o arábica negociado em São Paulo ficou em R$ 459,69 a saca de 60 quilos, queda de 0,08%.

Cacau: Semana volátil: Os contratos futuros do cacau encerraram a última semana em baixa após intensa volatilidade na bolsa de Nova York. Os papéis com vencimento em março fecharam a US$ 1.984 a tonelada na sexta-feira, recuo de US$ 37. Ao longo da semana, o cacau passou de uma queda acumulada de mais de 2% na terça-feira para uma alta de menos de 1% na quinta-feira. Após o último pregão, contudo, a amêndoa voltou-se para o campo negativo e encerrou a semana com queda de 1,59%. Para a consultoria Zaner Group, a volatilidade do mercado tende a se manter, sustentada pelas movimentações especulativas de curto prazo. Em Ilhéus e Itabuna, na Bahia, o preço médio ao produtor recuou 0,29%, para R$ 100,40 a arroba, segundo a Central Nacional de Produtores de Cacau.

Soja: Atraso no Brasil: O atraso no plantio da safra 2017/18 de soja no Brasil em meio aos sinais de demanda firme pelo produto americano deu fôlego às cotações da soja na bolsa de Chicago na última semana. Os papéis com vencimento em janeiro fecharam a US$ 9,945 o bushel na sexta-feira, avanço de 13,5 centavos. Segundo a AgRural, a semeadura no Brasil atingiu 0,3% da área prevista para a cultura na última semana, abaixo do visto no ano anterior, quando as chuvas chegaram mais cedo e propiciaram uma antecipação do plantio. As vendas de mais de 800 mil toneladas de soja pelos EUA para a China desde o dia 14 ajudaram a impulsionar as cotações em Chicago. No mercado interno, o indicador Esalq/BM&FBovespa para a soja em Paranaguá ficou em R$ 70,86 a saca de 60 quilos, avanço de 0,5%. (Valor Econômico 25/09/2017)