Macroeconomia e mercado

Notícias

Commodities Agrícolas

Açúcar: De olho no Brasil: Os contratos futuros do açúcar registraram forte alta na bolsa de Nova York na última sexta-feira, puxados por movimento técnico dos fundos que investem em commodities. Os contratos com vencimento em maio fecharam o pregão a 14,67 centavos de dólar a libra-peso, avanço de 45 pontos. Do lado dos fundamentos, o mercado acompanha a queda no percentual de cana destinada para a fabricação de açúcar no Centro-Sul do Brasil em detrimento do etanol. De acordo com a Archer Consulting, as previsões de crescimento de 10% nas vendas do setor automotivo é um fator ainda não traduzido nos relatórios de oferta e demanda que circulam no mercado. No mercado brasileiro, o indicador Cepea/Esalq para o açúcar cristal em São Paulo ficou em R$ 57,09 a saca de 50 quilos, valorização de 1,03%.

Café: Florada no foco: A última semana foi de instabilidade para as cotações do café arábica na bolsa de Nova York. Na sexta-feira, os papéis com vencimento em março fecharam a US$ 1,3015 por libra-peso, avanço de 200 pontos. O mercado segue apreensivo com a florada da safra 2018/19 no Brasil, maior produtor mundial. A safra do país apresentará bienalidade positiva no próximo ciclo, mas depende de chuvas regulares na atual fase de desenvolvimento para confirmar as previsões de safra recorde esperada por alguns analistas do setor. De acordo com produtores, embora tenha sido expressiva, parte da florada pode ser dada como perdida devido à elevada desfolha dos cafezais e às altas temperaturas. No mercado brasileiro, o indicador Cepea/Esalq para o arábica ficou em R$ 455,06 a saca, alta de 1,46%.

Soja: Demanda firme: Os sinais de demanda firme pela safra americana de soja deu força às cotações da oleaginosa na bolsa de Chicago na última sexta-feira. Os contratos futuros com vencimento em janeiro fecharam a sessão cotados a US$ 9,865 por bushel, avanço de 4 centavos. De acordo com o Departamento de Agricultura dos EUA (USDA), os exportadores americanos firmaram contratos para a venda de 238 mil toneladas de soja para a China, com entrega prevista ainda na atual safra (2017/18). Pelas regras do USDA, operações iguais ou superiores a 100 mil toneladas feitas no mesmo dia e para o mesmo destino devem ser reportadas ao órgão. No mercado brasileiro, o índice Cepea/Esalq para a soja em Paranaguá ficou em R$ 72,86 por saca na sexta-feira, avanço de 0,23%. No mês, a alta acumulada é de 3,03%.

Trigo: Peso da oferta: A sexta-feira foi de queda para os contratos futuros do trigo nas bolsas americanas, refletindo a elevação nas previsões para a produção do cereal. Em Chicago, os papéis com vencimento em março fecharam o dia a US$ 4,4525 por bushel, recuo de 5 centavos. Em Kansas, o grão com entrega para o mesmo mês encerrou a US$ 4,43 por bushel, queda de 3 centavos. Na União Europeia, as previsões oficiais para a produção do cereal foram elevadas em 0,8%, para 141,5 milhões de toneladas, com aumento de 10% nas estimativas de estoques finais, agora em 11,57 milhões de toneladas. Na China, estima-se que a produção deverá crescer 0,9% e somar 127,35 milhões de toneladas. No Brasil, o preço médio do trigo no Paraná ficou em R$ 624,06 a tonelada, valorização de 0,79%, segundo levantamento do Cepea. (Valor Econômico 30/10/2017)