Macroeconomia e mercado

Notícias

Commodities Agrícolas

Suco de laranja: Bom desenvolvimento: As boas condições de desenvolvimento da safra 2017/18 de laranjas nos EUA e a aversão do mercado a riscos em meio à crise na Turquia derrubaram as cotações do suco concentrado e congelado na bolsa de Nova York na sexta-feira. Os papéis da commodity com vencimento em novembro fecharam a US$ 1,6335 o libra-peso, recuo de 260 pontos. Em relatório divulgado na sexta-feira, o Departamento de Agricultura dos EUA apontou que qualidade dos frutos da atual temporada é uma das melhores em anos, de acordo com a avaliação de produtores. O órgão, contudo, ainda prevê queda de 24% na produção de laranjas dos EUA, para 3,5 mil toneladas. No mercado brasileiro, o preço médio da caixa de 40,8 quilos de laranja destinada à indústria ficou em R$ 22,17, alta de 0,4%, segundo o Cepea.

Algodão: Estoque de sobra: A projeção do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) para os estoques americanos pressionaram as cotações da pluma em Nova York na sexta-feira. Os novos números do órgão apontaram para 1 milhão de toneladas de estoques ao fim da safra 2018/19, bem acima das 840 mil toneladas esperadas pelo mercado, segundo a Zaner Group. Com estoque de sobra, os papéis com vencimento em dezembro fecharam a 85,23 centavos de dólar a libra-peso, queda de 203 pontos. O novo relatório do USDA também elevou a estimativa para produção americana, de 4,03 milhões para 4,19 milhões de toneladas. Investidores esperavam estimativa de 4 milhões de toneladas. No Brasil, o indicador Cepea/Esalq para a pluma com pagamento em oito dias caiu 0,36%, para R$ 3,2718 a libra-peso.

Milho: Rendimento recorde: O Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) endossou, na última sexta-feira, as previsões de rendimento recorde na safra 2018/19 de milho dos Estados Unidos, pressionando as cotações do grão em Chicago. Os papéis com vencimento em dezembro fecharam a US$ 3,7175 o bushel, queda de 11 centavos. Segundo o órgão, as lavouras dos EUA devem apresentar uma produtividade de 12 toneladas por hectare nesta temporada. A estimativa surpreendeu o mercado, que esperava que o órgão indicasse um rendimento de 11,86 toneladas por hectare. Com o rendimento recorde, a perspectiva de produção americana foi elevada para 370,5 milhões de toneladas. No Brasil, o indicador Esalq/BM&FBovespa para o milho ficou em R$ 42,14 a saca de 60 quilos na sexta-feira, alta de 0,5%.

Trigo: Maior que o esperado: As previsões de estoques mundiais apontadas pelo Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) na última sexta-feira ficaram acima das expectativas do mercado, o que derrubou as cotações do trigo nas bolsas americanas. Em Chicago, o grão com vencimento em dezembro fechou a US$ 5,695, queda de 17 centavos. Em Kansas, o cereal com entrega para o mesmo mês fechou a US$ 5,85 o bushel, baixa de 19,25 centavos. Segundo o USDA, a safra 2018/19 deve encerrar com estoques de 258,96 milhões de toneladas ante 255,6 milhões de toneladas apontadas pelo mercado. Em julho, o órgão projetava um volume de 260,88 milhões de toneladas. No Paraná, o preço médio do trigo ficou em R$ 976,86 a tonelada, desvalorização de 2,7%, segundo levantamento do Cepea. (Valor Econômico 13/08/2018)