Macroeconomia e mercado

Notícias

Commodities Agrícolas

Café: Correção: Após baterem o menor valor em 12 anos, os contratos futuros do cafe arábica registraram alta na bolsa de Nova York ontem. Os papéis com vencimento em dezembro fecharam a US$ 1,018 a libra-peso, avanço de 85 pontos. Segundo Gil Barabach, consultor da Safras & Mercado, o mercado tem apresentado sinais de sobre-venda, com perspectiva de correção caso haja alívio na pressão do dólar sobre o real. Segundo a Comissão de Negociação de Futuros de Commodities (CFTC, na sigla em inglês), os fundos elevaram em 3,39% o seu saldo líquido vendido na última semana, para o recorde de 97.727 papéis no dia 14. No mercado interno, o indicador Cepea/Esalq par ao arábica em São Paulo ficou em R$ 408,01 a saca de 60 quilos, queda de 0,57%.

Algodão: Demanda firme: Os sinais de demanda firme pela produção americana de algodão da safra 2018/19 têm sustentado as cotações da pluma na bolsa de Nova York esta semana. Ontem, os contratos com vencimento em dezembro fecharam a 83,25 centavos de dólar a libra-peso, alta de 55 pontos. Segundo a Zaner Group, o volume total de algodão vendido nesta temporada já corresponde a 58,5% do previsto pelo Departamento de Agricultura do país (USDA) ante uma média histórica de 35,2% nos últimos cinco anos. Os Estados Unidos são o maior exportador mundial de algodão, destinando mais de 80% da sua produção ao exterior. No mercado interno, o indicador Cepea/Esalq para a pluma com pagamento em oito dias caiu 0,06% ontem, para R$ 3,2203 a libra-peso.

Soja: Ceticismo: O maior ceticismo com o encontro entre representantes de EUA e China para tratar das relações comerciais entre os dois países abriu espaço para a queda nas cotações da soja em Chicago ontem. Os contratos com vencimento em novembro fecharam a US$ 8,86 o bushel, recuo de 7,25 centavos. Na segunda, Donald Trump afirmou à Reuters não esperar muito das negociações com a China e disse que "não há prazo" para o fim da guerra comercial. "Nenhuma reação expressiva e duradoura do fator político-comercial de Trump e Xi Jinping será mantida sem a confirmação concreta e oficial [de um acordo]", observa a AgResources. No mercado interno, o indicador Esalq/BM&FBovespa para a soja em Paranaguá ficou em R$ 89,71 a saca de 60 quilos, queda de 0,71%.

Milho: Rendimento recorde: As expedições privadas pelo Meio-Oeste dos EUA têm confirmado as previsões do Departamento de Agricultura do país (USDA) apontando um rendimento médio recorde das lavouras de milho dos EUA na safra 2018/19. A constatação pressiona as cotações do grão na bolsa de Chicago. Ontem, os papéis com vencimento em dezembro fecharam a US$ 3,7425, queda de 2,25 centavos. Segundo informações prévias da expedição privada Pro Farmer, o rendimento deve ser de 12,08 toneladas por hectares em Ohio, avanço de 9% em relação à safra anterior, e de 11,97 toneladas por hectares em Dakota do Sul, salto de 20% na mesma comparação. No mercado interno, o indicador Esalq/BM&FBovespa para o grão ficou em R$ 41,12 a saca de 60 quilos ontem, queda de 0,36%. (Valor Econômico 22/08/2018)