Macroeconomia e mercado

Notícias

Commodities Agrícolas

Açúcar: Sem trégua: Com queda acumulada de apenas 6 pontos em agosto, os contratos futuros do açúcar registraram alta marginal ontem na bolsa de Nova York. Os papéis com vencimento em março fecharam a 11,42 centavos de dólar a libra-peso, avanço de 8 pontos. "O mercado continuará a ser amplamente suprido, e não estamos esperando nenhuma recuperação sustentada no preço do açúcar em breve", observou a Capital Economics em nota na qual comenta a estabilidade do mercado futuro de açúcar em agosto. No ano, a commodity acumula queda de 23,97%, pressionada pelas previsões de superávit na oferta mundial em 2017/18 e em 2018/19. No mercado interno, o indicador Cepea/Esalq para o açúcar cristal negociado em São Paulo ficou em R$ 55,47 a saca de 50 quilos, alta de 1,61%.

Café: Menor valor em 12 anos: Os contratos futuros do café encerraram agosto no menor valor na bolsa de Nova York em mais de 12 anos, patamar atingido no último dia 20. Na sexta-feira, os papéis com vencimento em dezembro fecharam a US$ 1,018 a libra-peso, recuo de 85 pontos. O café tem sido pressionada por um posicionamento vendido recorde dos fundos, de 98.777 papéis no último dia 28, diante das previsões de safras recorde no Brasil e no Vietnã. Os dois países concentram mais da metade da produção e devem, juntos, levar a um superávit na oferta mundial em 2018/19 estimado em 8 milhões de sacas pelo Departamento de Agricultura dos EUA (USDA). No mercado interno, o indicador Cepea/Esalq para o arábica em São Paulo ficou em R$ 422,44 a saca de 60 quilos, queda de 0,87%.

Cacau: Alta mensal: Os contratos futuros do cacau registraram, em agosto, sua primeira alta mensal significativa desde abril, refletindo as previsões de queda na produção mundial na safra 2018/19, que se inicia em outubro. Os papéis da amêndoa com vencimento em dezembro fecharam a US$ 2.336 a tonelada no último dia 31, alta de US$ 61 e valorização de US$ 116 em agosto. Com chuvas abaixo da média há mais de um mês no oeste da África e previsões de formação do El Niño no fim deste ano, as perspectivas são de déficit na oferta mundial na próxima safra após um leve superávit em 2017/18. No mercado interno, o preço médio da amêndoa em Ilhéus, na Bahia, ficou em US$ 146 a arroba, queda de 0,68%, de acordo com a secretaria de agricultura do Estado, a Seagri.

Algodão: Demanda em xeque: A piora do cenário para a demanda mundial de algodão após o agravamento da crise turca levou os contratos da pluma negociados em Nova York a encerrarem agosto com queda acumulada de 737 pontos. Na sexta-feira, os papéis com vencimento em dezembro fecharam a 82,22 centavos de dólar a libra-peso, recuo de 4 pontos. A crise financeira na Turquia teve efeitos sobre as moedas de países que lideram o consumo mundial da commodity, como Bangladesh e Vietnã, e conferiu pressão adicional sobre o mercado, que já apresentava queda diante da guerra comercial entre EUA e China, terceiro maior importador. No mercado doméstico, o indicador Cepea/Esalq para a pluma com pagamento em oito dias caiu 0,02%, para R$ 3,1895 a libra-peso. (Valor Econômico 03/09/2018)