Macroeconomia e mercado

Notícias

Commodities Agrícolas

Açúcar: Movimento técnico: As cotações do açúcar demerara fecharam com elevação modesta na sexta-feira na bolsa de Nova York, em meio a ajustes técnicos dos fundos depois de uma sequência de altas fortes. Os contratos com vencimento em maio subiram 7 pontos, a 14,01 centavos de dólar a libra-peso. Neste mês, as cotações do açúcar tem sido impulsionadas pela queda do dólar, por notícias negativas sobre a produção do Brasil e por indicações de que a Índia poderá não exportar as 4 milhões de toneladas que foram liberadas pelo governo. Além disso, as previsões para a produção da Europa também vinham alimentando o movimento de alta. No Brasil, o indicador Cepea/Esalq para o açúcar cristal em São Paulo ficou em R$ 65,90 na sexta-feira a saca de 50 quilos, o que representa alta de 0,6%.

Suco de laranja: Pomar americano: As cotações do suco de laranja concentrado e congelado (FCOJ, na sigla em inglês) recuaram em Nova York na sexta-feira. Os papéis com vencimento em janeiro caíram 225 pontos, para US$ 1,3980 a libra-peso. As previsões de maior produção nos Estados Unidos e as boas condições climáticas para o pomares no país permanecem no radar dos investidores. O Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) estima em 5,62 milhões de toneladas a produção dos EUA em 2018/19, alta de 43%. Corrobora com a perspectiva de queda o último relatório da Comissão de Negociação de Futuros de Commodities (CFTC). Os fundos elevaram a em 14,1% a aposta na queda dos preços. No Brasil, o peço médio pago pela indústria pela caixa de 40,8 quilos de laranja ficou estável em R$ 22,38, segundo o Cepea.

Soja: Demanda em baixa: Os contratos de soja caíram mais uma vez em Chicago na última sexta-feira. Os contratos para janeiro recuaram 7,25 centavos de dólar, a US$ 8,705 o bushel. O mercado ainda reage à demanda abaixo da esperada pela soja americana. Na quinta-feira, o Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) informou que foram fechados contratos para venda de 293,6 mil toneladas de soja em uma semana. As expectativas variavam de 600 mil a 1 milhão de toneladas. Na sexta-feira, o USDA também informou que compradores da China cancelaram contratos de 180 mil toneladas de soja dos EUA. Segundo Commerzbank as importações de soja para a China devem cair 25% neste trimestre. No mercado doméstico, o indicador Esalq/ BM&FBovespa para a soja em Paranaguá ficou em R$ 89,57 a saca, baixa de 0,52%.

Trigo: Greve argentina: A greve de caminhoneiros da Argentina, marcada para esta semana, influenciou as cotações do trigo nas bolsas dos EUA na última sexta-feira. Em Chicago, os contratos do cereal com vencimento em março subiram 0,75 centavo de dólar, a US$ 5,3425 por bushel. Em Kansas, os papéis de mesmo vencimento subiram 1,75 centavo, para US$ 5,4075 o bushel. Conforme análise do Commerzbank, o movimento dos caminhoneiros, que exigem que o frete seja reajustado para compensar a inflação na Argentina, pode afetar as exportações de trigo. Se o escoamento do cereal argentino for prejudicado, a demanda do Brasil por trigo americano pode crescer. Por isso, o impacto nos preços nas bolsas. No Paraná, o preço médio do trigo caiu 0,25% na sexta-feira, a R$ 810,27 por tonelada, de acordo com o Cepea. (Valor Econômico 22/10/2018)