Macroeconomia e mercado

Notícias

Commodities Agrícolas

Açúcar: Revisão indiana: Sem referência de Nova York devido ao feriado do dia de Martin Luther King nos Estados Unidos, os preços do açúcar subiram ontem na bolsa de Londres. Os contratos futuros da commodity com vencimento em maio fecharam a sessão a US$ 363,10 por tonelada, valorização de US$ 1,80. Os preços da açúcar branco foram sustentados pelo petróleo e pelos novos dados de produção da Índia. A Isma, associação das usinas indianas, cortou a estimativa para a produção do país na temporada 2018/19 em 2,5%, a 30,7 milhões de toneladas. Segundo a entidade, a produção de açúcar da Índia deve ser menor nesta safra devido à falta de chuvas e à infestação de lagartas durante a fase de desenvolvimento das lavouras de cana do país. No Brasil, o indicador Cepea/Esalq para o açúcar cristal caiu 0,1%, a R$ 68,97 por saca.

Café: Colheita vietnamita: Com a valorização do dólar sobre o real observada até o início da tarde de ontem e a colheita de café no Vietnã, um dos maiores produtores do mundo, dentro do ritmo esperado, os preços da commodity recuaram na bolsa de Londres. Os lotes de café robusta para março caíram US$ 6, para US$ 1.538 por tonelada. Em Nova York, onde o café arábica é negociado, não houve pregão devido ao feriado do dia de Martin Luther King. De acordo com analistas consultados pela agência Dow Jones Newswires, o clima seco no Brasil deverá direcionar os cotações nesta semana. No mercado doméstico, o indicador Cepea/Esalq para o café arábica em São Paulo ficou em R$ 417,27 por saca, alta de 0,45%. O indicador para o café robusta no Espírito Santo teve ganho semelhante, para R$ 306,78 por saca.

Cacau: Na contramão: Os contratos futuros de cacau recuaram ontem na bolsa de Londres. Os papéis com entrega para maio registraram baixa de US$ 7, cotados a US$ 1.683 por tonelada. A commodity se desvalorizou ontem mesmo com o aumento das apostas dos investidores na alta dos cotações da amêndoa. A avaliação de traders é que a posição "baixista" anterior não considerava o balanço entre oferta e demanda. Além disso, os ventos quentes e secos no oeste da África, principal região produtora da commodity, aumentaram os temores com a oferta. Na bolsa de Nova York, não houve negócios na segunda-feira por conta do feriado do dia de Martin Luther King. Em Ilhéus, na Bahia, o preço do cacau atingiu R$ 147,00 por arroba, queda de 1,35%, de acordo com a Secretaria de Agricultura do Estado.

Soja: Reação interna: Nos últimos dias, os preços da soja no mercado brasileiro reduziram as perdas acumuladas nas primeiras semanas do ano. Ontem, o indicador Cepea/Esalq para o grão em Paranaguá subiu 0,69%, para R$ 76,22 a saca. Foi a terceira alta seguida, embora o indicador continue acumulando queda de 4,9% em janeiro. Antes da reação dos últimos dias, os preços do grão vinham em queda por conta da redução dos prêmios para exportação, reflexo dos receios de uma diminuição na demanda externa pelo produto brasileiro. Diante disso, os agricultores do país deixaram de fechar novos contratos, apontou o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), em boletim semanal. Em Mato Grosso, principal Estado produtor, a colheita está avançado. Até o dia 19, atingiu 12,3% da área plantada. (Valor Econômico 22/01/2019)