Setor sucroenergético

Notícias

Cana: fim de crédito presumido deve ser compensado

Representantes de usinas participam do Global Agribusiness Forum 2016, na manhã desta segunda, dia 4, em São Paulo (SP).

A presidente da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), Elizabeth Farina, afirmou que "seria mais fácil" compensar o fim do crédito presumido de R$ 0,12 por litro, incidente sobre o etanol, com outras medidas. Esse crédito, que na prática zera a alíquota de PIS/Cofins sobre o álcool, foi tomado em 2013 e expira em 31 de dezembro desde ano.

"Pode ser com uma Cide equivalente", disse em entrevista nos bastidores do Global Agribusiness Forum 2016 (GAF 16), em São Paulo.

Recuperação

O presidente do Conselho de Administração da Copersucar, maior trading de açúcar e etanol do mundo, Luís Roberto Pogetti, afirmou nesta segunda, dia 4, que as usinas e destilarias sócias da companhia já se recuperaram das chuvas em excesso durante o mês de junho e estão com a moagem de cana-de-açúcar normalizada.

"E a geada não teve impacto (sobre os canaviais da Copersucar)", acrescentou durante conversa no GAF 2016.

A primeira metade de junho foi marcada por uma forte onda de frio no CentroSul do Brasil, com episódios de geadas principalmente nos estados do Paraná e de Mato Grosso do Sul. Chuvas em excesso durante o período chegaram a interromper a moagem de cana por quase uma semana.

Pogetti comentou também que a projeção de processamento pelas empresas da Copersucar se mantém em 93 milhões de toneladas de cana própria para a temporada 2016/2017, iniciada em abril. O Centro-Sul como um todo deve moer em torno de 620 milhões de toneladas. (Canal Rural 05/07/2016)

 

Açúcar: Novo patamar

No primeiro pregão após o feriado de Dia da Independência nos EUA, os contratos futuros do açúcar demerara tiveram nova alta ontem em Nova York.

Com isso, os contratos mantiveram-se nos patamares atingidos na semana passada em meio à queda do dólar e à redução do ritmo de moagem no Brasil.

Os papéis com vencimento em março de 2017 fecharam a 20,94 centavos de dólar a libra-peso, alta de 10 pontos.

Desde o início de 2016, a commodity já subiu mais de 35% refletindo um consenso no mercado de que haverá déficit na oferta mundial nos próximos dois anos.

Além disso, a alta levou os produtores a fixarem as vendas antecipadamente, o que reduziu ainda mais a oferta.

Em São Paulo, o indicador Cepea/Esalq para o açúcar cristal ficou em R$ 88,27 a saca, alta de 0,31%. (Valor Econômico 06/07/2016)

 

Nardini Agroindustrial obtém certificado Bonsucro de sustentabilidade

A Nardini Agroindustrial, dona de uma usina de cana-de-açúcar em de Vista Alegre do Alto (SP), recebeu o certificado Bonsucro de sustentabilidade, que habilita a planta a exportar açúcar para países da Ásia e União Européia que adotam essa exigência. A unidade possui capacidade de processamento de 4,5 milhões de toneladas de cana-de-açúcar por safra.

Com o certificado, a companhia deve se tornar mais competitiva no mercado, afirmou o diretor da Nardini, Vanderlei Caetano, em nota. “Para nós foi um objetivo alcançado. Esta conquista ressalta o valor da empresa”, avaliou.

A certificação foi conferida após auditoria da consultoria SGS feita entre maio e junho. O desempenho industrial da unidade foi avaliado em 97,5%, enquanto o desempenho agrícola foi avaliado em 97,37%. Agora, “a primeira coisa a fazer é extrair todas as informações contidas no relatório de avaliação onde estão presentes os pontos de melhoria”, afirmou Fábio Gonçalves, encarregado de qualidade da Nardini.

A Bonsucro é uma organização não governamental criada para promover a sustentabilidade no setor sucroalcooleiro e incentivar as indústrias a diminuírem o impacto ambiental durante o cultivo da matéria-prima e produção de seus derivados. (Valor Econômico 05/07/2016)

 

Preço do açúcar cristal nas usinas paulistas sobe 14% em junho

Os valores do açúcar cristal subiram em praticamente todo o mês de junho – apenas na última semana que se estabilizaram. No acumulado mensal, o Indicador Cepea/Esalq do açúcar cristal cor Icumsa entre 130 e 180, mercado paulista, avançou 13,71%, fechando a R$ 87,86/saca de 50 kg no dia 30.

A média mensal de junho, de R$ 83,94/sc, foi a maior da safra 2016/17, iniciada oficialmente em abril. Nessa segunda-feira, 4, o Indicador fechou a R$ 88,00/sc de 50 kg, alta de 0,81% em relação à segunda anterior.

Pesquisadores do Cepea comentam que o clima firme segue favorecendo a moagem de cana-de-açúcar e a produção do cristal no estado de São Paulo. Usinas mais capitalizadas se mantiveram firmes nos valores ofertados. Algumas unidades, por outro lado, chegaram a baixar um pouco os preços de vendas do açúcar Icumsa 180 no final da semana passada.

Diversos compradores com bons estoques estiveram retraídos, já que consideram o atual patamar de preço elevado. Demandantes com maior necessidade adquiriram o açúcar de forma pontual. (Cepea / ESALQ 05/07/2016)

 

Baixa liquidez mantém preço do hidratado em queda em São Paulo

Poucas negociações envolvendo o etanol hidratado foram observadas no mercado paulista na última semana de junho. Segundo pesquisadores do Cepea, compradores estavam à espera de um aumento na oferta, fundamentados no período de final de mês, mas muitas usinas estiveram fora do mercado, negociando somente de forma pontual. Diversas unidades já haviam feito caixa em outras semanas de junho e, com isso, não cederam nos preços.

Nesse cenário, o Indicador semanal Cepea/Esalq (estado de São Paulo) fechou a R$ 1,4481/litro entre 27 de junho e 1º de julho, ligeira queda de 0,4% em relação à semana anterior. Para o anidro, distribuidoras com bases no Nordeste adquiriram volumes importantes do estado de São Paulo para abastecer a demanda local, já que a safra na região está encerrada. Com isso, entre 27 de junho e 1º de julho, o Indicador semanal Cepea/Esalq (estado de São Paulo) do anidro fechou a R$ 1,6691/l, pequena alta de 0,7% frente à semana anterior. (Cepea / ESALQ 05/07/2016)

 

Brasil deve retomar importação de etanol americano no final de julho

Três navios estão negociando para embarcar de 30 a 35 milhões de litros dos Estados Unidos para a região Nordeste

O mercado brasileiro começa a se preparar para receber uma nova leva de navios trazendo etanol a partir deste mês. Segundo a consultoria Datagro, com a perspectiva de aumento de preço nos próximos meses, três navios estão negociando para embarcar de 30 a 35 milhões de litros dos Estados Unidos para a região Nordeste no final de julho e início de agosto.

De acordo com dados da Datagro, na semana passada o etanol anidro foi negociado a R$ 1.665,00/m3 (PVU, sem impostos), leve baixa de 0,8% em uma semana e de 2% em um mês, embora os preços registraram aumento de 22,3% em comparação aos valores praticados há um ano.

Entretanto, ressalta a consultoria, a recente acomodação dos preços em São Paulo em resposta à melhora do ritmo da moagem talvez seja passageira, especialmente em um momento em que as usinas concentram mais os seus esforços na produção de açúcar.

Contabilizando as compras desde de dezembro de 2015 até o momento, a importação de etanol atingiu 290,164 metros cúbicos. (Universo Agro 05/07/2016)